Oi meninas, fui convidada a participar desta tag e como ontem o "blogspot" resolveu me zoar a tag não saiu no dia marcado. Mas nada disso importa, afinal vamos fazer a tag hoje mesmo, com o tema "livre". 

Sou apaixonada por fotografia e nada melhor que compartilhar com vocês, momentos que foram importantes e significativos em minha vida, vamos lá?







1 - Minha filha a @lizbelladog, uma fofura.
2 - Essa paisagem linda, que encontrei em Olinda.
3 - Voltando pra casa, depois do carnaval.
4 - Uma voltinha na orla da minha Salvador! ♥
5 - Liz brincando com a caixa de morango.
6 - Sapato da Santa Lolla que ganhei da mamãe.





Oi meninas, bom hoje eu fiz uma entrevista bem legal com a Larissa Andrade, do blog Falsa Cinderela. Sobre um projeto incrível que a Lari criou chamado #SomosTodasCinderela, se quiser conhecer um pouco mais sobre ele é só acompanhar a nossa entrevista.

Foto por Larissa Andrade
Oi Lari, primeiro, deixa eu falar que fiquei mega feliz por ter aceito meu convite para esse bate papo. O projeto #somostodascinderela é de fundamental importância para todas as pessoas que assim como eu, não aceitam o seu corpo pôr ele ser um pouco fora do padrão que há anos é imposto, pela mídia e mundo da moda, à nossa sociedade!

1 – Então, me fala um pouco sobre você.
Bom, eu tenho 16 anos, nasci e moro até hoje em Minas (uai!) sou uma pessoa bem sorridente, alegre e que ama fazer palhaçadas para ver os outros sorrir, mas nem sempre fui assim .. já fui muito tímida e fechada pelo fato de eu não confiar em mim mesma, não acreditar em mim.

 2 – Explica para quem não conhece ainda, o que é o projeto #somostodascinderelas.
O projeto #SomosTodasCinderelas nada mais é do que um projeto que incentiva o amor próprio! Pode parecer bobo mas o amor próprio e a autoestima são características marcantes de cada uma de nós, seja pela falta ou pelo excesso. No meu caso foi pela falta, como eu disse, eu era bem tímida e fechada, me escondia e me privava de tudo qe envolvia expor o meu corpo. não que hoje em dia eu saia desfilando de biquíni pra todo canto, mas hoje em dia já uso saias e vestidinhos que mostram minhas coxas, minhas gordurinhas e não tenho vergonha. Não tenho porque eu me amo desse jeito, eu acredito na minha beleza e isso faz com que nenhum comentário alheio me afete.

3 -  Como surgiu essa ideia?
A ideia surgiu da minha própria experiencia, desde sempre lá no blog escrevo textos bem pessoais sobre minhas inseguranças, medos e mágoas. Daí um certo dia escrevi sobre autoestima e o amor próprio que eu estava cultivando em mim, escrevi o texto mais para ser algo motivador para os dias que minha autoestima não estivesse tão lá em cima como naquele dia. Desde então fui fazendo mais textos e muitas meninas foram se juntando a mim nessa. resolvi criar com um nome contraditório ao nome do blog (FALSA Cinderela) e coloquei #SomosTodasCinderelas.

4 – Você esperava esse sucesso todo?
Nunca!!!!! Como eu disse o projeto meio que começou para mim, para eu me motivar e ver que sou forte e que existem sim os dias que estaremos com a autoestima um pouco mais baixa, mas que apesar disso eu precisava me amar cada vez mais e cultivar isso cada vez mais.

5 – Qual é hoje a principal função do #somostodascinderelas?
O incentivo ao amor próprio e autoestima, não é só um projeto pra gordinhas ou magrinhas, mas sim pra todas que não se amam porque tem "imperfeições". Quero mostrar essas meninas que a gente passa a ficar mais bonitas quando nos amamos e confiamos em nós mesmas, são nossas atitudes e características que nos deixam cada vez mais lindas e "imperfeições" todas nós temos, ninguém é perfeita. 

6 – Em um dos postes desse projeto, você cita que é bem difícil acharmos modelos plus size jovens. Tem alguma modelo que sirva de inspiração para você?
Não, atualmente eu não conheço NENHUMA modelo plus size teen. Mas tem uma blogueira gordinha (e jovem!) que eu amo e acompanho sempre que é a Ray Neon. Quanto as modelos plus size (adultas) eu me inspiro em váaarias, entre elas: Fluvia Lacerda, Isabelle Campestrini, Aline Zattar, Renata Poskus, Babi Monteiro, Márcia Ornellas e entre outras. 

7 – Sempre fui a mais gordinha da turma e a mais alta também, com o tempo comecei com complexos bobos e a utilizar as roupas como forma de me esconder. As vezes podia estar aquele calor todo e eu estava vestida com casacos que cobriam todo meu braço largo. Hoje estou com números a menos na balança e com uma autoestima melhor, porém não acredito que seja por ter perdido peso que me sinta melhor e sim por ter encontrado amigos que não se importam com os números da minha balança, eles sempre me dizem que me amam pelo que sou.Tem alguém em especial que foi de suma importância para te ajudar a compreender que devemos nos amar pelo que somos e não pelo que nos é imposto?
Várias, a principal foi minha mãe, desde sempre ela me ensinou isso, me apoiou quando eu me sentia mal por causa do meu corpo, conversava comigo enquanto eu chorava e lutava para que eu me amasse. Não posso esquecer também das minhas amigas, uma em especial que sempre sempre sabia quando eu tava mal sem eu falar um "a", elas me ajudaram a ver que eu sou linda assim como elas, só que em um corpo diferente. 
8 – Depois do surgimento do projeto você já se sentiu triste alguma vez e lembrou em seguida que criou um movimento, vamos dizer assim, que ajuda milhares de pessoas a se amarem mais?
Teve vários! A luta pela autoestima é uma luta constante, se a luta parar a autoestima também cai. O mais importante é termos foco e apoio, vários foram os dias que tive recaídas, chorei e fiquei "fraca", mas então eu lembrava que Deus me abençoou tanto, me deu uma mãe e amigas maravilhosas, me deu forças pra superar isso, me guiou para criar esse projeto, me deu leitoras que me apoiavam e que também precisavam de apoio .. e então eu me reerguia. Mas momentos de recaídas todas nós que lutamos por essa causa temos, principalmente na tpm que os nervos e a sensibilidade tá em alta.

9 - Existe milhares de meninas e meninos pelo mundo que possuem problemas alimentares, por não aceitarem seu próprio corpo. Existe também pessoas que sofrem bullying pela aparência, ter um nariz maior ou apenas um mero diferencial dos demais. Se você pudesse falar alguma coisa para essas pessoas, o que você diria?
SE AMEM! SEJAM FORTES! Essa dor e neura de não se aceitar só vai passar quando vocês acreditarem em si mesmas, quando serem fortes e perceberem que rejeitar a si próprio não adianta. Se ame e vai ver quando os outros também te amarão, te amarão pelo fato de você ser confiante e mostrar aquelas pessoas quem você é de verdade, sem nenhuma máscara e/ ou mágoa. Caso, de foram alguma você ame o seu corpo, mude. Faça uma academia, junta uma grana pra fazer uma plástica (com um profissional de confiança) mas mude por você e pra você, não para os outros. Mas ainda sim acho que o amor próprio quando cultivado supera tudo, até mesmo essa vontade de fazer uma plástica pra mudar.
Bia: Lari, agradeço muito por ter topado aparecer aqui no blog e principalmente por ter criado esse projeto maravilhoso que eu tanto admiro, como já te disse tantas vezes. Obrigado e que muitas outras pessoas possam ajudar o próximo com ideias incríveis, como essa!

Lari: Fiquei tãaaaaaaaao feliz com esse seu convite, fico até emocionado ao saber que tem bastante gente me apoiando nesse projeto que é tão importante pra mim. Muito obrigada por esse apoio, ele é tão importante pra mim, Foi uma honra poder responder suas perguntas. Obrigada de coração Preto de copas (cartas)

Espero que tenham gostado sonhadoras, não se esqueçam de conhecer um pouco mais sobre o projeto (Aqui).